Somos velhos. E agora?

Artigo de opinião de Emanuel Vital, no suplemento de economia do Diário de Notícias, Dinheiro Vivo (29 Outubro, 2021).

“Promover o envelhecimento saudável é, não só um imperativo social, mas também um investimento com um retorno socioeconómico significativo. Se o aumento da esperança média de vida for acompanhado de medidas para a promoção de uma melhor velhice, o Estado não só poupa – e poupa muito. Conseguirá cortar entre 40 e 60% dos gastos totais da Saúde. E pode fazê-lo com recurso a medidas tão simples e exequíveis como o reforço do número de fisioterapeutas no Serviço Nacional de Saúde.”